segunda-feira, 11 de junho de 2012

Legião Urbana - Integrante sobrevive

Ex-baixista da banda Legião Urbana
vai para abrigo público no Rio

Renato Rocha virou morador de rua e diz que irá dar a volta por cima
Do R7, com Rede Record | 11/06/2012 às 12h00
Publicidade
O ex-baixista do grupo Legião Urbana, Renato Rocha, que há cinco anos mora nas ruas do Rio de Janeiro, quer dar a volta por cima. Rocha resolveu procurar ajuda por conta própria, uma semana depois de a banda completar 30 anos.

Ele procurou abrigo em um albergue da Prefeitura do Rio. Há três meses, a equipe da Rede Record descobriu o músico nas ruas da cidade. Apesar da situação de miséria, Rocha ainda era reconhecido pelos fãs.

A história do músico famoso que virou morador de rua comoveu muita gente. Depois que o programa Domingo Espetacular exibiu a reportagem, ele aceitou passar por uma avaliação médica e chegou a se internar numa clínica particular que oferecia tratamento psiquiátrico de graça. Porém, desistiu e voltou para as ruas.

Mais uma vez ele decidiu deixar as calçadas do centro da cidade e, por enquanto, aceitou receber ajuda.

— Quando a gente tá no anonimato as pessoas falam ex. Eu não sou ex, eu estou vivo, sou hoje, agora e continuo tocando.

Renato Rocha está no maior abrigo do Rio de Janeiro, um local com uma área de quase 6.000 m², onde vivem 350 pessoas.

Segundo a psicóloga que trata do músico, ele chegou bem confuso pelo que havia acontecido na vida dele.

— Estamos realizando o trabalho para que ele possa ser reinserido na sociedade.

Os profissionais do abrigo estão providenciando os documentos que Renato Rocha há muito tempo não tem. Depois disso pretendem fazer o acompanhamento psicológico para que ele consiga recuperar a autoestima.

O músico viveu o auge do sucesso da Legião Urbana. Tocou nos três primeiros discos e ajudou a compor muitos sucessos. O casamento com a banda, no entanto, durou até 1988, quando foi expulso do grupo depois de se desentender com os integrantes. Os colegas diziam que ele não cumpria os horários, chegava atrasado para os ensaios e era indisciplinado.

Aos 51 anos de idade, Rocha tem dois filhos adolescentes, que não vê há pelo menos dois anos. O fim da carreira como baixista coincidiu com o fim do casamento dele e do relacionamento com os pais. Ele foi morar nas ruas e insiste em dizer que não tem vícios.

— Eu nunca uso drogas.

A decisão de buscar ajuda aconteceu exatamente uma semana depois do tributo à banda, que virou lenda nos anos 80 e 90. O show lembrou os 30 anos do surgimento do Legião Urbana. Ao ver o vídeo do tributo, o baixista se lembrou de como o líder Renato Russo era perfeccionista e o comparou com o ator Wagner Moura, que o interpretou no show.

-— O vocalista é bom, mas poderia ter ensaiado mais. O Renato ensaiava muito antes.

Rocha quer voltar aos palcos e, enquanto isso não acontece, vai ensaiando um retorno com uma banda improvisada do abrigo.
                          


Nenhum comentário:

Postar um comentário